Página inicial do Secretaria do Estado de Educação

Governo reúne com sindicatos e MPE para iniciar planejamento de vacinação dos profissionais da Educação no Estado

04/05/2021 15h22 - Autor: Bárbara Brilhante (Ascom/PGE) 937 visualizações
Foto: Governo reúne com sindicatos e MPE para iniciar planejamento de vacinação dos profissionais da Educação no Estado
Foto: Ricardo Amanajás (Agência Pará)

Durante a manhã desta terça-feira (4), o Governo do Estado, por meio da Procuradoria-Geral (PGE), da Secretaria de Educação (Seduc) e da Secretaria de Saúde (Sespa), esteve reunido com representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp) e do Sindicato de Estabelecimentos Particulares de Ensino do Pará (Sinep), além de promotores do Ministério Público do Estado (MPE), para iniciar o planejamento da vacinação dos profissionais da educação e formular uma proposta de como se dará a distribuição de doses, conforme o quantitativo de pessoas e as faixas prioritárias, nos 144 municípios paraenses. 

“Esta é apenas a primeira de uma sequência de reuniões que será realizada, porque existem vários pontos nebulosos na orientação do Ministério da Saúde em relação às formas de vacinação. Então a ideia é retirar destes encontros alguns consensos sobre qual maneira a vacinação destes profissionais se dará no Estado como um todo, assim como quantitativos para organizarmos a distribuição. Queremos, ao final destas reuniões, colher impressões, sugestões e opiniões, construir dentro do Poder Executivo uma proposta de plano para posterior apreciação e validação, tanto pelo Ministério Público, quanto pelos sindicatos e pela sociedade em geral”, explicou o procurador-geral do Pará, Ricardo Sefer. 

Ainda segundo o procurador-geral, o avanço da vacinação depende totalmente da disponibilidade de doses. Desta forma, levando em consideração que o Estado possui mais de 150 mil profissionais da área, incluindo professores, os setores administrativo e de serviços gerais das instituições, o plano deve conter subgrupos de prioridade e o quantitativo por município de cada uma destas faixas, para que o Governo do Estado, através da Sespa e da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), faça a distribuição das vacinas à medida que as doses forem chegando no Pará. 

“Já tivemos um case de sucesso quando fizemos o protocolo da primeira volta às aulas, no ano passado, e não tivemos surtos de contaminação dentro das escolas. Então, temos conhecimento técnico e capacidade organizacional para montar novamente uma estratégia e conseguir vacinar os profissionais e dar seguimento à Educação, tirar essas crianças de casa e das ruas e colocar onde elas têm que estar, que é nas escolas”, reforçou Sipriano Ferraz, secretário adjunto da Sespa. 

O encontro foi realizado de forma virtual. Estiveram presentes, também, a secretária de Educação, Elieth Braga; a secretária adjunta de Ensino, Regina Pantoja; a procuradora-geral adjunta do Centencioso, Ana Carolina Paúl Peracchi; os procuradores do Estado, João Olegário Palácios, Bruno Salomão e Susanne Schnoll; o diretor de Vigilância em Saúde da Sespa, Denilson Feitosa; os promotores de Justiça, Fábia Melo, Ioná Nunes e Carlos Eugênio; a presidente do Sinep-PA, Beatriz Padovani; e a coordenadora geral do Sintepp-PA, Cirlene Cabral.

“O retorno das atividades está totalmente vinculado a questão da vacinação. Precisamos pensar no corpo da escola como um todo, não somente no magistério, como também no grupo de apoio e de terceirizados das instituições, assim como não somente na rede estadual, como também a municipal e a particular. Esse passo é muito importante para definir quem serão as pessoas alcançadas nesse processo, já que nós não temos condições de alcançar a todos em um primeiro momento”, informou a secretária de Educação, Elieth Braga. 

Uma nova reunião está agendada para a próxima terça-feira (11), para que sejam entregues pela Seduc e pelos sindicatos envolvidos os números solicitados de profissionais e de instituições, para que seja feito pelo Estado um estudo de viabilidade e de impacto, levando em consideração o quantitativo em aspecto regional.