Página inicial do Secretaria do Estado de Educação

Seduc realiza Busca Ativa Escolar na área rural de Salinópolis

23/08/2021 11h30 - Autor: Lilian Guedes (Ascom / Seduc) 1668 visualizações
Foto: Seduc realiza Busca Ativa Escolar na área rural de Salinópolis
Foto Divulgação

“A iniciativa visa identificar e resgatar os alunos que não têm acompanhando as atividades e garantir a continuidade do ano letivo”


A Secretaria de Estado de Educação (Seduc), por meio de sua 14ª Unidade Regional de Ensino (URE) realizou, na terça-feira (17), a Busca Ativa com os alunos matriculados na Escola Estadual de Ensino Fundamental Adriano Santa Brígida, localizada na área rural do município de Salinópolis, nordeste paraense.

Com o retorno das aulas presenciais na rede pública estadual, no último dia 2 de agosto, de forma escalonada, para 25% dos alunos em cada turma de anos e série específicas e avançando conforme o calendário do Plano de Retomada da Seduc, os professores e servidores da unidade escolar realizaram um plano de ação para garantir que os alunos que deixaram de realizar as atividades não presenciais no 1º e 2º bimestre, retornassem ao 3º bimestre e dessem continuidade ao calendário letivo.

Eliete Silva é gestora da 14ª URE e evidencia a importância da educação na vida das pessoas. “É muito gratificante ver o retorno do aluno à escola. Saber que, com a busca ativa, conseguimos que a família e o aluno compreendam a importância da educação em sua vida”,

Seguindo todos os protocolos recomendados pelos órgãos de saúde, a equipe visitou alunos das vilas de: São Bento, Santo Antônio de Urindeua e Derrubadinho. Durante a ação, alguns alunos foram contatados e voltaram a realizar suas atividades escolares.

A estratégia tem o intuito de identificar os alunos que não têm acompanhado as atividades de trazê-los de volta à rotina de estudos. A gestora conta também que a atividade da localidade surgiu da necessidade identificada pela equipe pedagógica da escola.

“A equipe escolar notou que muitos alunos não estavam fazendo as atividades remotas e precisaríamos saber o motivo. Foi então que realizamos um mapeamento e fomos em busca desses alunos. Graças a Deus, a receptividade foi muito boa, pois a interação com a família permitiu diagnosticar a ausência do aluno nas atividades escolares”, finaliza a dirigente.


MAIS FOTOS