Página inicial do Secretaria do Estado de Educação

Mobilização nas escolas e ações nos portos fortalecem o combate a mosca da carambola em todo o estado

20/06/2022 13h26 - Autor: Rosa Cardoso/Ascom Adepará 544 visualizações
Foto: Mobilização nas escolas e ações nos portos fortalecem o combate a mosca da carambola em todo o estado
Mobilização nas escolas e ações nos portos fortalecem o combate a mosca da carambola em todo o estado

Quem transportar ou vender frutos hospedeiros nas regiões com presença do inseto pode sofrer penalidades

A Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) intensificou, desde a semana passada, as ações educativas da mosca da carambola em todo o estado. Nas escolas públicas de diversos municípios, fiscais estaduais agropecuários e agentes fiscais agropecuários da Agência orientaram e sensibilizaram estudantes sobre como a população pode ficar informada e ajudar a erradicar a praga a partir do conhecimento sobre os frutos hospedeiros.

De acordo com a gerência de educação sanitária da Adepará, nas ações educativas realizadas nas escolas, os estudantes foram orientados sobre a legislação que proíbe o transporte e a comercialização de frutos hospedeiros das regiões infestadas para outras localidades livres da praga. Quem transportar ou vender frutos hospedeiros nas regiões com presença da mosca da carambola pode sofrer penalidades.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), os estados do Amapá, Roraima e o distrito de Monte Dourado, no Pará, são locais de ocorrência da mosca da carambola. O inseto ataca mais de 30 tipos de frutas e por isso as ações de defesa sanitária e monitoramento são realizadas constantemente para evitar a entrada da praga no estado.  

Em Almeirim, a equipe de educação sanitária da Adepará realizou ações educativas nas escolas de ensino fundamental e médio e também atividades de controle, erradicação e combate no terminal hidroviário do município.

“Devido a mosca da carambola ser uma praga de importância econômica para a fruticultura regional e nacional é preciso intensificar as ações para combater essa praga e um trabalho conjunto como o que estamos fazendo nas escolas para conscientizar estudantes para que eles possam ser multiplicadores dessas informações”, disse o engenheiro agrônomo Vandeilson Belfort, fiscal estadual agropecuário da Adepará. 

Equipes da Gerência de Trânsito Agropecuário (GTAGRO) vêm realizando também o monitoramento, fiscalização, educação sanitária e outras ações voltadas para o programa da mosca da carambola nos portos, aeroportos e na Central de Abastecimento do Pará (Ceasa), em Belém. Os agentes fiscais agropecuários que estão atuando nessas frentes são Enéias Marcelino, José Luis Magalhães, Maria Iara Nogueira e Emanoel de Jesus Moreira.

 Mosca da Carambola

Bactrocera carambolae é o inseto considerado a maior ameaça à fruticultura nacional pois ataca mais de 30 tipos de frutas. Os prejuízos podem causar forte impacto socioeconômico, já que a fruticultura nacional tem grande importância para a economia do país, com diversos produtos integrando a pauta de exportação – os países que compram produtos do Brasil não aceitam frutos de regiões onde há a presença da mosca da carambola.

No Pará, a Adepará, por meio do Programa de Erradicação da Mosca das Frutas, faz o monitoramento e a vigilância constante para evitar que a praga se instale nos dois principais polos citrícolas do estado.